O papel da escola na educação ambiental

O papel da escola em si sempre foi preparar o aluno para ser um cidadão pleno, logo o papel dela para a educação ambiental é preparar o aluno para seu ambiente. Mas para preservá-lo, usá-lo sem destruir, comportar-se bem perante a ele, restaurá-lo ou amá-lo? É evidente que os desastres ambientais foram os maiores motivos para repensarmos nossa atuação na natureza. Em nosso país, Mariana-MG é um exemplo de desastre ambiental que seria evitado, dentre outros, se tivéssemos num alto nível de educação e consciência ambiental. Mais do que se “comportar bem” diante da natureza, a escola tem o papel de nos fazer entender a complexidade das questões ambientais com diálogos de saberes englobando a cultura, a sociedade, economia e política. Deve ultrapassar a barreira de ajudar ou não a natureza, de fazer o certo ou o errado. Tomar cuidado para não idealizar, nem mistificar.

Não ditar como, por exemplo: economizar água, energia elétrica e reciclar. Sem contar nas campanhas de reciclagem que, muitas vezes, provocam o consumo da criança para que ela tenha uma embalagem para contar como pontos. A escola é um espaço de iniciação à democracia, o encontro e experiência com a contradição humana. O professor Luiz Marcelo de Carvalho, da UNESP- Rio Claro nos lembra de que devemos, neste processo educacional, ultrapassar a racionalidade técnica, que acreditávamos que nos ajudaria na superação da natureza. Vai além de seu uso, ou conservação, é ultrapassar soluções meramente remediáveis através de conhecimentos e avanços tecnológicos.

A educação é uma prática social, dentre outras várias, que existe para contribuir decisivamente na transformação da sociedade, desmanchar consensos aparentes, como a própria definição de educação ambiental, trazendo a riqueza de interpretações em relação a ela e também ao entendimento de construções históricas que levaram à crise ambiental. A EA também pode fazer com que os alunos passem a apresentar várias perspectivas a serem respondidas que nem ainda sequer foram pensadas. Para existir sociedades sustentáveis é necessário que ocorra seu surgimento de maneira democrática, participação de todos que farão parte destas sociedades. Se for para obedecer a ordens e leis ambientais, a EA será apenas um reforço do atual modelo o qual já estamos vivenciando calcada na falta política e força econômica.

Leia também!

Ellen Garcia

Ellen Garcia

view all posts

Bióloga, de Piedade-SP. Graduada pela UNESP, me interesso em meio ambiente de forma geral: animais, plantas, ecologia, cidades sustentáveis, reciclagem, educação ambiental, alimentação saudável, vegetariana e vegana, hortas caseiras, produtos orgânicos e locais, decoração de ambientes, artesanatos, literatura e escrita.

0 Comments CLIQUE E COMENTE →


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>