Arborização até em pastagem

As áreas de pastagem no Brasil estão em evidente estado de degradação devido a fatores como a falta de cuidados com o solo e com a própria pastagem. As principais causas dessa degradação devem-se à inexistência de práticas de controle a erosão, crescimento de ervas daninha, falta de adubação de cobertura e ao super pastoreio, que compacta o solo e diminui a taxa de rebrota da pastagem. Dentre as técnicas de recuperação e conservação das pastagens, o plantio de árvores, corretamente distribuídas dentro da pastagem, é uma alternativa muito promissora, tendo em vista que as árvores desempenham várias funções benéficas para o ambiente físico, para os animais e para o próprio homem.

Para melhor explicação no assunto contei com a ajuda do professor Isaac Lucena de Amorim que é Engenheiro Florestal, formado na Universidade Federal da Paraíba e com mestrado em ciências florestais pela Universidade Federal de Lavras – MG. O mesmo cita que os benefícios para o ambiente são suas copas que amortecem o impacto das gotas da chuva no solo, reduzindo os riscos de erosão, diminuindo a velocidade de escoamento superficial e proporcionando maior infiltração da água no solo, que depois será absorvida pelas raízes das gramíneas e das próprias árvores. Sua sombra reduz a evaporação da água contida no solo e seus galhos reduzem a velocidade dos ventos, o que minimiza a desidratação da pastagem por transpiração. Se as árvores forem leguminosas (que produzem vargens) estas ainda ajudarão no aporte de nitrogênio ao solo através da simbiose de suas raízes com bactérias (gênero Rhizobium) que assimilam nitrogênio atmosférico e que depois será incorporado ao solo. Por fim, quando estão em crescimento, as raízes das árvores quebram camadas compactadas e ao morrerem tornam-se fonte de nutrientes e deixam espaços vazios que aumentam a capacidade de infiltração da água e de aeração do solo.

Para os animais as árvores fornecem a sombra que cria um ambiente mais agradável nas horas mais quentes do dia. As leguminosas são as mais indicadas, pois suas folhas são boas forrageiras, devido serem palatáveis aos animais e apresentarem bons níveis de proteína. Já para o homem os benefícios das árvores podem ser avaliados de duas maneiras; indiretamente, na medida em que as árvores estão protegendo o solo de sua propriedade e ainda mantendo-os produtivos e, diretamente, quando se aproveitar a madeira do tronco e dos galhos, a folhagem para alimentar os animais na época de escassez de pastagem e, possivelmente, frutos.

Uma pergunta importante e frequente para quem deseja arborizar sua pastagem são “quais espécies florestais são mais indicadas?”. Bom, na escolha da(s) espécie(s), nativas ou exóticas, devem-se levar em conta alguns critérios, é importante escolher uma espécie que tenha adaptação climática e que tolere as condições do solo em que será plantada. O ideal é que apresente crescimento rápido, sistema radicular profundo e forme fuste reto e copa aberta – para não sombrear muito a pastagem. Outra característica importante é que estas espécies não sejam palatáveis, isto é, não façam parte do gosto alimentar dos animais, de modo que estas possam ser plantadas sem a necessidade de retirar os animais do pasto. Arbóreas palatáveis (forrageiras) são mais importantes para regiões onde a pastagem fica escassa na estação seca, como no semiárido nordestino. Dentre as nativas ou exóticas com potencial para arborização de pastagem pode-se destacar espécies como: coração de negro, sabiá, orelha de negro, jatobá, acácia, copaíba, mulungu, gliricidia, genipapo, ipê amarelo, ipê roxo, cedro, paineira, sumaúma, andiroba, mutamba, breu, eucalipto, entre outras.

Arborização de pastagem ainda trás muitos benefícios para o gado, pois a disponibilidade de sombra permite que os animais se desloquem menos para se abrigarem do sol nas horas mais quentes do dia, o que ajuda a reduzir o pisoteio da pastagem e do solo, bem como reduz a perda de energia, facilitando o ganho de peso. Além disso, o conforto térmico proporciona um bem-estar animal que promove aumento na natalidade animal, lactação e ganho de peso.

Por isso devemos Arborizar nossas cidades, nossos campos e se puder o mundo, é um método simples e que só trás benefícios para o homem, os animais e o meio ambiente, então vamos ARBORIZAR queridos leitores!

Leia também!

0 Comments CLIQUE E COMENTE →


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>