É com criatividade que o bagaço se transforma

A reciclagem e o reaproveitamento está pouco a pouco ganhando força e é nesse cenário que surgem as boas ideias para diminuir o desperdício e o descarte indevido de resíduos. Basta focar nosso olhar para as coisas ao nosso redor e ter criatividade. E criatividade é o que não falta para os brasileiros, não é mesmo?

Um exemplo disso foram os pesquisadores da FZEA (Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos) da USP de Pirassununga, que desenvolveram embalagens biodegradáveis produzidas a partir do bagaço de cana e resina a base de óleo de mamona. As embalagens são auto-desmontáveis e foram desenvolvidas para o transporte de frutas, hortaliças e bebidas, ocupam menos espaço, são uma boa alternativa às caixas de madeira e mostraram-se uma solução inteligente para o descarte do bagaço de cana.

O descarte do bagaço de cana pode até parecer pequeno mas, de acordo com dados da Unica (União da Indústria de Cana de Açúcar), a safra brasileira de 2013/2014 produziu 653.444 milhões de toneladas de cana. Para se ter uma ideia da quantidade de bagaço produzido, cada 1 tonelada de cana produzida, gera 140 kg de bagaço.

No processo de fabricação das caixas, o bagaço é seco e peneirado para em seguida serem eliminadas as partículas menores. A partir desse momento é que entra a resina de óleo de mamona, que tem a função de aglomerar as partículas. Dessa maneira, a mistura é colocada em moldes, prensada para dar origem aos painéis, base para a montagem das embalagens.

O reaproveitamento do bagaço de cana é um dos bons exemplos que diminuem o desperdício resíduos e contribuem para um mundo um pouco melhor. E já que estamos falando de criatividade para diminuir a quantidade de lixo que produzimos, o que acham do bagaço de cana transformar-se em arte? Essa é a proposta de um grupo de artesãs de Campos de Goytacazes (RJ), que criaram uma coleção de bonecas inspiradas na grande Frida Khalo e feitas com bagaço de cana de açúcar.

As bonecas são confeccionadas por mulheres do grupo AME (Associação de Mulheres Empreendedoras) que se uniram para resgatar as origens de Campos de Goytacazes que teve sua economia em alta na época do ciclo do açúcar e que abriga diversas usinas que fornecem a matéria prima para o trabalho das artesãs.  A notícia boa para quem gostou das bonecas é que as mesmas podem ser adquiridas pelo site do projeto (http://www.redeasta.com.br/grupos-de-artesaos/ame.html)

Viram só como boas ideias estão por toda parte, é só olharmos ao redor?

 

Leia também!

Tarsyla Masys

Tarsyla Masys

view all posts

Paulistana, publicitária, pós-graduada em Gestão Cultural, amante da natureza, apaixonada pelo universo literário e em busca de ideias inovadoras que mudem o mundo.

0 Comments CLIQUE E COMENTE →


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>